Pare de negligenciar suas emoções

24/09/2017

Fugir, ignorar, varrer para debaixo do tapete, não são opções saudáveis.

Nem sempre sentimos o que gostaríamos de estar sentindo.
Tem dias em que você já acorda numa bad. E pra piorar vem a culpa por estar pra baixo, porque existe uma cobrança sobre nós (que vem de fora, mas que acabamos por assimilar e transformar em autocobrança) de que devemos estar sempre bem, cada vez melhores, nos tornando inabaláveis. E se não estamos neste padrão, nos sentimos inadequados.

É aí que mora o perigo.

Pra se manter nesse padrão, muitas vezes a pessoa finge estar bem, se força a mudar de estado emocional ou sequer olha pra aquela dor.

Se você fizer isso, ela irá voltar. Acontece que essas emoções (tristeza, raiva, culpa, vergonha, mágoa, etc.) surgem para nos dizer algo, para nos pedir uma atitude, para que a gente olhe pra dentro. Então é preciso olhar para elas, compreender o recado, ouví-las, para que sejam devidamente curadas e parem de ressurgir.

Mas como proceder?

Acolhendo.

Não estou dizendo pra você alimentar este estado por muito tempo ou entrar numa de vítima do mundo e sentir pena de si mesm@. Não é isso.

Mas é importante aceitar, admitir essa sombra pra poder trazer luz a ela. Você não precisa bancar a fortaleza o tempo todo. E está tudo bem.

Então defina um tempo pra acolher esta emoção. Dependendo da situação, algumas horas, 1 dia... (evite prolongar demais. Tão importante quanto acolher é desapegar, deixar ir). E use esse tempo para observar esta emoção. De onde ela vem. O que está por trás. Que outras cargas emocionais, de experiências passadas, vêm junto com ela. O que esta situação quer te dizer. Enfim, perceba, esteja consciente.

E se permita sentir, sem julgamentos. Dê a si mesm@ (sinta) apoio, compreensão e compaixão.

Por fim, agradeça a essa emoção. Agradeça pela experiência e aprendizado que ela trouxe por todo o tempo que te acompanhou e diga que agora ela já não se faz mais necessária, que você está pront@ para viver uma nova realidade, repleta de sentimentos mais elevados e construtivos. Despeça-se e deixe-a ir.

Só então passe a fazer coisas que mudem seu estado, que elevem sua vibração.

Essas pausas são necessárias para que você consiga seguir com equilíbrio a sua jornada.
Não é fraqueza, é coragem, é autoconhecimento.

Esta é uma prática simples, mas que faz toda a diferença.

Fique em paz. Muito amor e compaixão pra você!